Notícias

Alteração Estatutária da CEMAH e Resultados de setembro 2018

A Caixa Económica da Misericórdia de Angra do Heroísmo (CEMAH) concluiu, no passado dia 6 de novembro, o processo de transformação em Sociedade Anónima com a realização de Assembleia Extraordinária da Santa Casa da Misericórdia de Angra do Heroísmo (SCMAH), que ratificou as deliberações da anterior Assembleia Geral da CEMAH realizada a 27 de setembro p.p..

De referir que tal transformação em nada altera o modelo de funcionamento da instituição, não obstante configurar a possibilidade de abertura de capital a outras entidades, mas sempre com maioria de capital da sua entidade fundadora e titular, a SCMAH, e decorre do novo regime jurídico das Caixas Económicas (Decreto Lei nº 190/2015 de 10 de setembro) que classifica a CEMAH como Caixa Económica Bancária, equiparada a Banco e, como tal, devendo adotar idêntica configuração jurídico-societária.

A atividade encontra-se em linha com as expetativas da Instituição, sendo que obteve um Resultado Líquido de 2,6 milhões de euros, até ao final do terceiro trimestre do corrente ano, aumento de 166% face ao mesmo período do ano anterior, tendo o Produto Bancário registado uma evolução positiva de 29%.
É de salientar o aumento da carteira de depósitos de 5,2% face ao período homólogo, reflexo da confiança dos clientes, bem como o verificado na carteira de crédito que cresceu 11,2%.

A CEMAH pretende continuar a posicionar-se como uma importante e sólida Instituição financeira ao serviço da economia dos Açores e sempre com o objetivo supremo de proteção dos seus depositantes, cumprimento do quadro regulatório vigente, relacionamento de excelência com os seus clientes, com uma gestão baseada em critérios de rigor e prudência, e na medida que for possível e consistente, libertação de meios através de dividendos para ajudar a cofinanciar a relevante obra social da sua Instituição Titular – a Santa Casa da Misericórdia de Angra do Heroísmo.

Ler mais

TAN ou TAEG? Saiba distinguir

Porque é importante para nós que esteja informado e para que possa analisar um crédito devidamente, deverá conhecer todos os custos que o compõem.

 

Neste artigo, preparado pelo ComparaJá.pt, são explicadas as principais variáveis a ter em conta antes de pedir um empréstimo. Entre as caraterísticas mais relevantes que tem de ter em conta ao escolher um crédito estão as diferentes taxas de juro aplicadas, já que terão um impacto significativo no custo global do seu empréstimo. Assim, é importante que atente, em primeiro lugar, na TAEG e, só depois, na TAN.

Sendo que estas taxas são apresentadas em percentagem relativamente ao valor do empréstimo, vão variar consoante o prazo e o montante solicitado, mas também, pelo tipo de solução financeira a que se refere, podendo ela ser, por exemplo, um crédito pessoal ou um crédito à habitação.

 

O que difere entre TAEG e TAN?

Desde 1 de janeiro de 2018 que a TAEG é também usada para medir o custo do crédito à habitação. Significa Taxa Anual de Encargos Efetiva Global e representa o valor do custo total do crédito para o consumidor. Abarca, portanto, todos os juros e encargos que vão ser cobrados ao longo do contrato: desde impostos, comissões bancárias e despesas processuais, a custos dos seguros ou de outros produtos ou serviços associados ao empréstimo.

A TAN, Taxa Anual Nominal, serve para medir o custo do crédito, sem contabilizar outras despesas obrigatórias na contratação de crédito, e é sempre aplicada durante o período de um ano, como o próprio nome diz. Portanto, para saber quanto irá pagar pela TAN por mês terá de dividir o seu valor em 12 prestações. Contudo, nas situações em que o pagamento for semestral, a TAN terá de ser dividida por dois, ou se for trimestral, por quatro. No caso do financiamento para compra de casa, quando a taxa é variável, a TAN corresponde à soma da Euribor com o spread. Contudo, cabe salientar que esta taxa não inclui impostos nem outros encargos com o crédito, pelo que não deverá servir de termo de comparação entre empréstimos. Uma TAN baixa não significa que o custo do crédito também seja baixo. A TAN pode ser baixa mas serem exigidos ao cliente a contratação de outros produtos financeiros na mesma instituição, que não são contemplados e lhe acrescentam valor. 

 

TAEG: um bom indicador de comparação

Por isso, quando se trata de um cartão de crédito, um crédito pessoal, automóvel, habitação ou mesmo com outra finalidade, é fundamentalmente a TAEG que deve analisar para que consiga entender realmente o custo que um crédito irá ter na sua vida.

Agora que já sabe a diferença entre TAN e a TAEG, não se esqueça de usar exatamente os mesmos critérios de comparação (montante solicitado, prazos de pagamento, etc.) para as comparar.

Entender todas as taxas que constituem um empréstimo, assim como qual delas é que reflete verdadeiramente o custo do crédito, é a base para garantir que faz a escolha certa, uma escolha informada.

 

 

Fonte: ComparaJá.pt

Ler mais

Mercados

  • Taxa Média Mensal Outubro 2018
  • Taxa a 1 mês -0,371%
  • Taxa a 3 meses -0,325%
  • Taxa a 6 meses -0,270%
  • Taxa a 12 meses -0,188%

Simulador

Conheça as nossas ferramentas financeiras.

Faça já a sua simulação!

Destino

Simular